10 dicas valiosas para um melhor gerenciamento de equipe

A Solides, empresa especialista em software para identificação de perfil comportamental e o Portal RH, divulgaram o Ebook com 10 dicas para gerenciar o comportamento dos colaboradores. Nós, da B2 Mídia, fizemos um resumo para você.

Abaixo conheça 10 dicas valiosas para um melhor gerenciamento de equipe e traga bons resultados para sua empresa.

 

1 – Identifique o perfil de cada um: é importante que você conheça o perfil de cada funcionário. Com o dia a dia é possível observar e absorver as particularidades de cada um, essa não é uma tarefa fácil. Mas tente ter mais conhecimento de quem são as pessoas que integram sua empresa. Assim, você poderá definir quem são os perfis analistas, comunicadores, executores e planejadores.

2 – Conscientize as lideranças a respeito da importância dos perfis: seus líderes e gestores precisam estar cientes dos perfis de cada colaborador.

3 – Identificação de focos de conflito: tente identificar, segundo o posicionamento e perfil de cada funcionário, quais são as áreas em que há maiores probabilidades de ocorrer conflitos. A partir da identificação e separação de cada foco, alerte as lideranças da área e ofereça informações sobre como lidar com cada tipo de profissional, de modo a sanar conflitos que possam estar em curso ou evitar choques futuros.

4 – Promova o equilíbrio: não importa de que área estejamos falando – o segredo da produtividade e dos resultados está no equilíbrio.

Setores cujos funcionários tenham perfis praticamente idênticos tendem a falhar na realização de alguns tipos de tarefa.

5 – Incentive o autoconhecimento: permita que seus funcionários tenham tempo de pensar em seus próprios objetivos e criar rotas de autorrealização que caminhem juntamente com o sucesso de seu negócio. Em alguns casos, bastará abrir espaço para que esses colaboradores possam seguir até um próximo nível.

6 – Reavalie Funções: conhecendo os perfis de cada um dentro da empresa, você começará a perceber que algumas pessoas simplesmente não se encaixam em suas funções atuais, porém parecem ser peças-chave em outras funções e tarefas com as quais têm mais afinidade. Muitas dessas pessoas jamais pararam para pensar até que ponto uma troca de posições ou simplesmente uma mudança nas descrições de cada cargo, mesmo porque essa é uma incumbência sua ou de seus gestores.

7 – Perfis departamentais: Com todos os perfis à mão, você pode desenvolver um exercício muito interessante: encontrar os perfis predominantes em cada um dos departamentos da empresa e colocá-los à prova em relação ao que se espera de fato de cada um desses setores.

8 – Arquive dados: não adianta apenas realizar um estudo abrangente sobre o comportamento de seus colaboradores – você tem de arquivar todos os resultados e testes de modo a poder acessá-los sempre que equipes sofrerem mudanças.

9 – Transforme constatações em dados: tudo é transformado em gráficos e dados para comparação e análise posterior. Não adianta apenas identificar o perfil comportamental de seus funcionários e atribuir-lhes novas funções e posições com base neles: é preciso medir e comparar desempenhos, guardando todos esses resultados para referência posterior. A aplicação desses, por sinal, que leva a conclusões rápidas e padronizadas, é algo que beneficia a criação de bancos de dados complexos sobre os números relativos à performance de equipes dentro do seu negócio. Faça questão de compartilhar, inclusive, todos os dados, relatórios e números com as chefias de cada um dos departamentos de sua empresa.

10 – Crie uma rotina de acompanhamento e Feedback: é importante que seus colaboradores tenham uma ideia clara e transparente de como estão sendo avaliados e observados por seus empregadores. Confiança é o segredo de uma boa administração e, por mais eficiente que possa estar sendo sua gestão, ela poderá ser minada caso seus colaboradores não compreendam e aceitem suas decisões.