Conheça as expectativas do RH para 2017

Seguindo as tendências de setores para 2017, a Social Base realizou uma pesquisa sobre as expectativas de RH para este ano.

A pesquisa aponta que 42,9% dos RHs planejam seus orçamentos de maneira colaborativa dentro das organizações, principalmente as grandes empresas. Apenas 17,1% afirmaram realizar o planejamento independente de outras áreas.

Muitas vezes, o profissional de RH também é responsável pelas funções da Comunicação Interna, na maioria dos casos, esses setores são agregados. Segundo um estudo realizado pela Social Base, em 73% das empresas, o setor de RH é responsável pela comunicação interna.

E por falar em Comunicação Interna, mais da metade das grandes empresas pretendem investir seu orçamento em ferramentas de comunicação, a preferência são para as digitais, sendo assim, acredita-se que essas ferramentas irão facilitar as tarefas do setor de RH que nem sempre conta com um profissional dedicado para atender as demandas da CI.

As empresas entendem que a Comunicação Interna fluida pode ser uma ferramenta a favor do RH, que contribui para o aumento do engajamento dos colaboradores, além de ser uma aliada para facilitar a propagação, manutenção e fortalecimento da cultura organizacional e consequentemente contribui para a redução de taxas de turnover.

A pesquisa também aponta que o RH está mais atento para a comunicação da liderança, o setor tem percebido cada vez mais o potencial da liderança na hora de comunicar. Por isso, pretende investir mais no treinamento de comunicação para líderes.

Uma das prioridades de investimento são treinamentos, capacitação, recrutamento e seleção, isso aponta para uma preocupação com a retenção de talentos. Outra prioridade está relacionada a Indicadores e Métricas demonstrando a maturidade dessas áreas que começam a enxergar a necessidade de mostrar resultados (ROI) para as organizações como uma posição estratégica. Apenas uma minoria (25,6%) mede ROI de uma maneira abrangente e estratégica.

Os principais obstáculos apontados por elas são, em primeiro lugar, a ausência de ferramentas de medição, necessidade inclusive apontada como uma das prioridades de investimento e em segundo lugar a falta de conhecimento.

Quando o assunto é orçamento, 63% das empresas acompanham seus orçamentos mensalmente e apenas uma minoria (15%) não realiza o acompanhamento. Um número grande de empresas (69,5%) planejam seus orçamentos com o mínimo 3 meses de antecedência e 19,1% ainda não fazem esse planejamento, no caso, as médias empresas que tiveram um crescimento rápido e ainda estão em processo de estruturação.

Outro tópico bastante requisitado do RH, são softwares para Folha de Pagamento que costuma ser um grande desafio para o Departamento Pessoal.

Contudo, as pequenas e médias empresas se enquadram no perfil de organizações que contratam um escritório contábil para processar a folha de pagamento. Isso significa que a empresa não fecha a folha: o que ela faz é enviar todos os apontamentos necessários sobre os funcionários para que a Contabilidade faça esse trabalho.

A automação do Departamento Pessoal ainda divide os RHs, parecendo um caminho disruptivo para algumas empresas. Ao mesmo tempo que mais de um terço delas afirmam não investir nada, um quarto afirma que investe de mais de R$ 5 mil por ano.

Espero que a leitura ajude no melhor planejamento de seu setor durante esse ano, não deixe de nos acompanhar.

Gostou? Leia também Como será a Comunicação Interna em 2017