E-mail marketing o vilão ou o mocinho

O guia da Rock Content escrito por vários especialistas de marketing digital defende que o e-mail marketing ainda é o da vez e que ao contrário do que muitos dizem, essa modalidade de marketing ainda é uma realidade muito forte no mercado, sendo responsável por um aumento considerável de vendas em estratégias de marketing digital.

Por outro lado, a consultora de carreiras Denise Farias, se queixa que os colaboradores da empresa em que trabalha não utilizam o e-mail e que ignoram os comunicados que são enviados por lá. “Eu opto por outros meios, como por exemplo, as reuniões que acontecem durante a semana, assim todos os colaboradores são informados”.

Já o analista de marketing Rodrigo Thiago, que concorda com o guia disse que a forma como a ferramenta é utilizada é que influencia no resultado final. “É preciso elaborar uma estratégia, para que as vendas aumentem ou o serviço oferecido seja alcançado”.

O envio de e-mails pode ser dividido em duas categorias: e-mail marketing e newsletter. A primeira é focada em aquisição, o que pede assinatura, download de algum material ou aplicativo, conversão, compra de produto ou serviço.

Já o newsletter, é focado em retenção – busca melhor relacionamento por meio de conteúdo relevante que pode auxiliar no dia a dia do leitor. Por exemplo, um cliente que comprou um tênis de corrida na semana passada, neste caso seria interessante enviar alguns materiais falando sobre como conservar o seu tênis de corrida. Mesmo o usuário já ter comprado o produto, ele permanece tendo contato com a marca, criando uma relação de proximidade.

Seguem dicas de boas práticas para você aplicar na construção do e-mail certo:

  1. É preciso separar qual e-mail condiz com cada persona: quais os cargos gerenciais. Essa prática exige um conhecimento afiado de quem você está atraindo e para onde você pretende levar cada uma dessas pessoas;
  2. Um dos erros mais comuns, é a compra de lista de e-mail, essa aquisição pode trazer baixíssimo retorno no investimento já que nem sempre todos esses contatos resultarão em vendas além da empresa poder ficar mal vista pelo mercado.
  3. Tomar cuidado para não ser visto como um SPAMMER, a dica é criar um e-mail que não tenha cara de spam:
  • Maneirar na utilização de termos como free, clique aqui, promoção, crédito, grátis etc;
  • Maneirar na utilização dos sinais gráficos, tomar cuidado ao usar a cor vermelha – ela tende a ser considerada mais spam devido à grande quantidade de varejistas que enviam e-mails com cores mais fortes para chamar a atenção para a venda;
  • Não colocar o assunto todo em CAIXA ALTA no seu e-mail, limite também o assunto para aproximadamente 50 caracteres.

Leia mais sobre a série marketing digital

Quer ser encontrado utilize o SEO 

Redes sociais aliada na geração de conteúdo 

Como o marketing digital pode ajudar sua empresa