Gestão 3.0: como esse modelo muda a forma de liderar

O modelo Gestão 3.0 redefine o conceito de liderança 

A Gestão 3.0 é um movimento de inovação na forma de liderança, gestão de equipes e processos. Este movimento redefine o conceito de Liderança e o transforma em algo mais amplo do que um simples controle de tarefas, demandas e entregas.

“O novo modelo de gestão trata de dividir as responsabilidades e conhecimentos, trabalhar em conjunto para obter os melhores resultados aproveitando as habilidades individuais dos membros de uma determinada equipe mantendo a sustentabilidade e excelência de resultados como objetivo principal”, esclarece Marcelo Scharra, Administrador e Consultor de Gestão da Inside Business Design.

As startups trouxeram a Gestão 3.0 para a realidade dos negócios, não apenas como uma ferramenta de excelência, mas como uma garantia de sustentabilidade na construção dos empreendimentos e na sua relação com a sociedade.

“A tecnologia automatizou processos, diminuiu a distância entre o cliente e as empresas e aumentou muito a velocidade em que o mercado se transforma. Essa velocidade de transformação exige das empresas uma capacidade adaptativa que se torna inviável com o modelo tradicional de gestão onde as manobras são lentas e definidas de acordo com interesses competitivos. Na gestão 3.0 as comunidades valorizam as empresas que economizam recursos, oferecem boas soluções e resolvem um problema. Neste sentido, a tecnologia é a maior ferramenta para substituir e desenvolver antigas formas de gerir o fluxo de trabalho, as pessoas de uma determinada equipe e as corporações como um todo”, diz.

O modelo tradicional de gestão ainda é bastante representativo, uma vez que as maiores empresas foram desenvolvidas dentro desta forma de atuação. Cada vez mais, a adoção de um modelo de gestão flexível, em detrimento do tradicional modelo linear, se torna uma questão não apenas de melhoria, mas de sobrevivência para as empresas.

Hoje, o ambiente de trabalho é mais valorizado e a busca vai além da remuneração. Os profissionais procuram por plano de carreira, felicidade, bem-estar e satisfação no que faz. Esse comportamento interfere no padrão de gestão burocrática, e líderes estão cada vez mais conscientes que esse padrão não funciona mais.

“O papel do líder na gestão 3.0 é o de ser um facilitador. Ele precisa compreender profundamente a empresa, o mercado no qual ela atua, o público alvo que deseja atender e ainda o potencial de sua equipe para encaminhar os processos de trabalho para a partir da união de todas as habilidades e recursos disponíveis criar soluções efetivas e vantajosas para entregar ao mercado. Atualmente, apesar de ser um conceito novo, existem livros e cursos de coaching que ajudam os lideres a despertarem esse estilo de comportamento no seu dia a dia, uma vez que a gestão 3.0 é uma mudança justamente de postura do gestor em relação a sua equipe, o negócio e especialmente, o mercado”, declara o consultor.

Uma pesquisa realizada pelo International Stress Management Association, aponta que 72% dos brasileiros estão insatisfeitos com o trabalho. Os problemas questionados foram: falta de reconhecimento, excesso de tarefas, problemas de relacionamento.

“A gestão tradicional prioriza o resultado, a lucratividade do empreendimento, a construção de uma marca ou um produto com potencial para liderar um mercado. Ou seja, a visão é de dentro da empresa para fora. A empresa tem por objetivo introduzir sua visão e valor ao mercado. Já na gestão 3.0 esse movimento é inverso, a gestão prioriza o mercado e suas necessidades, incluindo os colaboradores da empresa. Neste modelo inovador, ao contrário da gestão tradicional é estimulada a visão de fora para dentro da empresa, priorizando a noção de propósito ou seja, sua razão de existir e os benefícios que o produto ou serviço pode gerar na sociedade como um todo”, conta.

Marcelo Scharra, conta que a gestão 3.0 não envolve apenas a forma como os processos são dirigidos dentro da empresa, mas também como os colaboradores envolvidos enxergam sua contribuição e a própria corporação. “Empresas que atuam de forma diferente da qual se dispõe em sua declaração de valor tendem a desestimular os funcionários, uma vez que estes veem o valor no propósito e querem fazer parte de algo que tenham pleno orgulho. A gestão 3.0 dá a gestão de recursos humanos a oportunidade de engajar os funcionários de forma profunda e genuína. O mesmo acontece com a gestão de marketing, porém sob a ótica do consumidor.  Em um mundo cheio de dilemas e desafios políticos, diplomáticos e relacionados ao meio ambiente, o marketing contemporâneo caminha no mesmo sentido da gestão 3.0, colocando em primeiro lugar a sustentabilidade e o propósito”, enfatiza.

Entrevistado


marcelo scharra

Marcelo Scharra é Administrador de Empresas e consultor de gestão da Inside Business Design. É formado em Administração de Empresas pela PUC-SP, com especialização em Finanças pelo Insper. A Inside é uma consultoria de Gestão, que identifica, propõe metas e ajuda a solucionar problemas estratégicos, apresentando resultados efetivos de curto prazo. É, ainda, palestrante e colaborador do centro de empreendedorismo do Insper. Fonte qualificada pra falar sobre gestão de negócios e pessoas, empreendedorismos, micro, pequenas e médias empresas e mercado de luxo. http://insidebd.com.