Coloque em prática a Gestão Participativa

Conheça dicas e os principais desafios da gestão participativa

A gestão participativa permite que os colaboradores contribuam com ideias e sugestões relevantes para a melhoria dos processos de trabalho. Essa é uma forma de despertar a vontade de buscar desafios e considerar diferentes opiniões. Porém, nem todas empresas estão prontas para implantar a gestão participativa.Para a especialista em gestão de pessoas Sabrina Espíndola, a primeira mudança é ouvir o que clientes, colaboradores, parceiros e fornecedores têm a dizer do seu negócio e do seu atendimento. Para então implantar melhorias que tragam soluções e inovações à empresa, por exemplo pesquisa de satisfação e clima organizacional.

“Buscar integrar os colaboradores comunicando as estratégias da empresa e informações relevantes que impactam o negócio. Investir em projetos que influenciam os relacionamentos e as entregas trazendo assim soluções mais personalizadas ao público”, conta Sabrina Espíndola.

Segundo Érika Suzuki, Sócia da Divisão de Gestão e Controladoria da Crowe Horwath, é importante deixar claro os objetivos para todos da equipe, treinando os colaboradores, dando feedback, estabelecendo metas e cobrando resultados.
“É necessário trabalhar com a estruturação da equipe e com comunicação clara e objetiva, deixando de lado a existência de hierarquia nos momentos de diálogos com colaboradores. Todos precisam ter o conhecimento de que existe espaço para recebimentos de novas propostas, ideias e críticas”, diz Érika Suzuki.

Modelos de Gestão e suas diferenças

Gestão 3.0: é um modelo novo que começou inicialmente a partir do livro Management 3.0, autor: APPELO, JURGEN. O Management 3.0 é um movimento de inovação, liderança e gestão. Está redefinindo o conceito de liderança tendo a gestão como uma responsabilidade de grupo. É sobre trabalhar junto para encontrar a forma mais eficiente para que o negócio atinja seus objetivos enquanto mantêm a felicidade dos trabalhadores como uma prioridade.

Gestão participativa: parte do princípio de ouvir todas as partes interessadas. Entender o que cada um pensa ouvindo a opinião para tomada de decisão mais eficaz para o negócio. É um modelo já muito usado no Brasil e tem trazido bons resultados. “Já participei de algumas implantações de projetos de gestão de pessoas usando esse modelo que trouxe muito mais engajamento dos colaboradores e equipes para melhorar os resultados da empresa, porque se sentiam fazendo parte integrante e valorizados”, conta Sabrina Espíndola.

Gestão tradicional: é aquela mais hierarquizada, que só dá relevância para o que a alta gestão pensa. Geralmente acreditam que a quantidade de horas trabalhadas é muito importante e demonstra comprometimento. O perfil da liderança é mais autoritário o famoso “manda quem pode e obedece quem tem juízo”.

“Empresas que ainda praticam esse tipo de gestão, estão perdendo os seus talentos. Os profissionais mais qualificados não admitem mais serem tratadas com descaso e fazem a opções por trabalhar em um lugar que traga desenvolvimento pessoal e profissional e que se sintam felizes e valorizados. Atualmente, o valor da qualidade de vida está crescendo, as pessoas querem viver bem nesse momento. Pensando na felicidade apenas quando se aposentar está ficando em desuso. Principalmente a nova geração quer ser feliz agora, buscam por um propósito profissional e não apenas a obedecer, executar tarefas e se preocupar em pagar as contas no final do mês”, finaliza Espíndola.

Dicas para implantar a Gestão Participativa

  • O líder precisa ser um ótimo comunicador e um bom exemplo.
  • Clareza: passar com clareza o que espera da equipe e alinhar o prazo limite de entrega.
  • Checar a compreensão: verificar se foi compreendida a solicitação. Fazendo a seguinte pergunta: o que você entendeu do que pedi? (alguns problemas e erros surgem por não compreender a demanda).
  • Feedback: mostrar com fatos e dados qual é a percepção que tem em relação a entrega do colaborador e forma assertiva, educada e o mais breve possível para não cair no esquecimento.
  • Coerência: ter o discurso mais próximo possível da prática, ser justo nas decisões e cumprir o que promete.

Os principais desafios da Gestão Participativa

  • Apoio da alta gestão para implantar a gestão participava. Fazendo que entenda a importância desse modelo para que os colaboradores tenham orgulho de pertencer a empresa e assim entregar melhores resultados.
  • Comunicação assertiva para mudança de cultura e ampliar a divulgação da missão, visão e valores da empresa.
  • Mostrar ao colaborador a importância da sua contribuição para o resultado final, tendo ele como um responsável por suas entregas e pelo desenvolvimento de sua carreira.
  • Ter líderes preparados que saibam incentivar, dar retorno positivo e construtivo.
  • Incentivar trabalho em equipe para busca em conjunto de soluções e resolver problemas.
  • Promover o orgulho de pertencer a empresa buscando compreender as necessidades dos colaboradores.
  • Dar participação em projetos importantes.
  • Remunerar conforme a prática do seu mercado.

Quer saber mais sobre estilos de gestão? Baixe nosso e-book!