Liderança Transpessoal: entenda esse modelo de gestão

Você já ouviu falar em liderança transpessoal? Pois é, o termo ainda é recente no Brasil.

O professor britânico John Knights, fundador e Chairman da consultoria LeaderShape, é o pioneiro no desenvolvimento desse tipo de liderança.

A liderança transpessoal é aquela onde o líder transcende seu próprio ego e busca tomar decisões que tenham ganhos e produzam resultados consistentes e sustentáveis no longo prazo. Esses líderes são os que querem ser lembrados, pelo legado que deixaram.

Para Maria Aparecida Araújo, professora e responsável pela estruturação dos primeiros treinamentos de Etiqueta Empresarial no Brasil, os benefícios desse tipo de liderança advêm do fato de que essas decisões levam em conta os interesses de todos aqueles que serão afetados por elas: clientes externos, clientes internos (colaboradores e fornecedores), acionistas, a comunidade onde a empresa se insere, os países onde atua e até mesmo o meio ambiente.

 

“Hoje, na maioria das empresas, encontramos um número muito maior de gestores do que de líderes, pois é muito mais simples gerir que liderar. Possuindo razoável domínio de processos e conhecimento de estratégias, alguma habilidade no trato com pessoas e conhecendo algumas técnicas de negociação, um profissional pode ser um gestor competente e até entregar os resultados que a empresa espera dele. Entretanto, os resultados ficam muito aquém daquilo que poderiam ser, pois as pessoas que formam o conjunto de stakeholders da organização não se sentem envolvidas completamente e não veem total sentido no trabalho que desempenham. A grande maioria se aposenta depois de 35 anos de serviço, por absoluto alívio do stress e das pressões do cotidiano”, explica a consultora.

 

A profissional também explica que para o líder saber aonde precisa chegar, ele primeiramente precisa saber onde está. Essa percepção de si mesmo, de como se comporta, de como se comunica com seus colaboradores, dos efeitos de suas atitudes e decisões sobre a percepção das outras pessoas é, na maioria das vezes, bastante equivocada ou limitada.

 

Para dar ao candidato a líder a noção exata da performance que seus gestores, pares, colaboradores e clientes esperam que ele tenha para atingir a excelência em liderança e principalmente para mostrar a diferença de percepção que ele tem de si mesmo e as das outras pessoas com quem ele trabalha, a LeaderShape criou uma ferramenta de aceleração do desempenho de liderança: O LEIPA.

O LEIPA é uma pesquisa de diagnóstico feita on line, que preserva integralmente o anonimato dos respondentes, gerando ao final do processo um relatório detalhado, que mostra exatamente o que o grupo espera daquele indivíduo, o estágio em que ele se encontra e o nível a que precisa chegar.

 

“Em suma, ao invés de procurar simplesmente ganhar bônus, altíssimos salários, poder, fortuna e ver inflada sua vaidade pessoal, o Líder Transpessoal muda o clima interno da organização onde atua, e essa mudança resulta numa mudança da cultura. Isso faz com que todos os stakeholders saibam dos compromissos que aquela empresa tem, dos valores e princípios nos quais se pauta, da forma como respeita todos que fazem negócios com ela! Tudo passa a fazer sentido e não há como essa empresa não vender mais, ter mais lucro, crescer, diferenciar-se dos concorrentes e se desenvolver”, conclui.

 

Conheça as características de um líder transpessoal com o acrônimo REAL

R- Radical (- do termo Raiz- no sentido de possuir sólidos valores e princípios, enraizados no seu caráter e personalidade- não no sentido de radicalismo)

E- de Ético: Líderes Éticos.

A – de Autêntico– O Líder Transpessoal não mente, não esconde, não escamoteia! Ele é aquilo que é, tanto na empresa, como fora dela! Sua integridade está presente em tudo que faz e decide. Assim, ele transmite segurança nas suas decisões. Ele explica, comunica-se com clareza, não promete aquilo que não pretende cumprir! Faz aquilo que diz que vai fazer!

L – líder

 


 Maria Aparecida Araújo é Consultora de Etiqueta Empresarial, Social e Internacional, Marketing Pessoal, Cerimonial e Protocolo. Coach de Executivos. Conferencista Internacional. Associada Exclusiva para a América Latina e Membro da Faculdade LeaderShape do Reino Unido. Facilitadora de cursos especiais “in company”.  Influenciadora no LinkedIn, para publicação de artigos. Consultora do IBQN – Instituto Brasileiro da Qualidade Nuclear. Graduada e Pós Graduada em Letras Língua e Literaturas de Língua Portuguesa. CEO da Etiqueta Empresarial Executive Manners Consulting, com 39 anos de experiência em relacionamento interpessoal e atendimento de excelência ao cliente. Pioneira no país na Análise de Cores para a Imagem Pessoal. Vem treinando profissionais de Empresas como: Petrobrás, BR Distribuidora, Banco Real, Banco Itaú, TV Globo, BNDES, Banco do Brasil, Sadia, Amil, Furnas, Correios, Laboratórios Cristália, Roche Farmacêutica, DELL Computadores, Embaré, Richter Joias, Hotéis Renaissence e Blue Tree, Valesul, Alunorte, Magnesita Service, DFB Seguro Garantia, Starshipping, Grupo Odebrecht, Andrade Gutierrez, Xerox, SUFRAMA, CREA- RJ, Bayer, CSN, Sony Music, IGT Turismo, Banese, FENAVIST, Supermercados Unidos, Tora Transportes, Universidade Gama Filho, CHESF, Faculdades Novos Horizontes, dentre outras. Fonte de consulta de vários veículos de mídia, dentre os quais: Revistas Exame, Você S.A, Veja, Época, Revista O Globo, Encontro, Vencer, Venda Mais, Lide, Ana Maria e Cláudia; Estadão, Jornal do Commercio, Gazeta Mercantil, Correio Brasiliense, Jornal dos Sports, Empregos e Oportunidades, O Dia, Sistema Globo de Rádio (Rádio Globo e CBN), Rádio Bandeirantes de São Paulo, TV Educativa e Globo News. Responsável por 3 anos pela Coluna de Etiqueta Empresarial do Jornal Carreira & Sucesso do Grupo Catho e da Você SA. Assinou também a Coluna de Etiqueta Profissional do Jornal A Tarde de Salvador, Tem artigos publicados em revistas e redes internas de inúmeras empresas. Autora do livro Etiqueta Empresarial Ser Bem Educado é…, lançado no Congresso Mundial de Recursos Humanos, pela Editora Qualitymark, em agosto de 2004.