Empreendedorismo feminino: 6 nomes de sucesso para se inspirar

Com sua luta constante em busca de conquistar diversos setores da sociedade, um número considerável de mulheres já conseguiram alcançar cargos de sucesso em grandes corporações e tornaram-se nomes importantes no empreendimento, como é o caso da Luiza Helena Trajano, dona da rede de lojas Magazine Luiza.

De acordo com o SEBRAE, o país possui cerca de 7,3 milhões de empreendedoras. Além disso, nos últimos 10 anos o número de negócios fundados por mulheres aumentou 21,4%. Apesar da crescente feminina nesse setor, em 2021 o IRME realizou uma pesquisa com cerca de 2.736 empreendedores que apontou alguns dados importantes sobre o assunto:

mulheres

mulheres

Para inspirar vocês, também separamos 06 empreendedoras com histórias brilhantes:

 

                                                                              Luiza Helena Trajano

No Brasil, ao falarmos sobre empreendedorismo feminino, esse provavelmente é um dos nomes mais conhecidos: Luiza Helena Trajano. Ela ficou conhecida por ser uma das fundadoras da rede de lojas Magazine Luiza. A empresária nasceu e foi criada em Franca, uma cidade do interior de São Paulo, e conforme foi crescendo foi se interessando pela pequena loja de móveis dos tios.

Em menos de 20 anos, Luiza conseguiu transformar a pequena loja na Magazine Luiza. Hoje, a rede varejista possui mais de mil unidades espalhadas pelo Brasil.


Sônia Hess

Um erro que deu certo: é assim que começa a história das lojas Dudalina. Em uma de suas idas à São Paulo para realizar as compras da vendinha, seu Duda acabou comprando muito mais do que deveria de um tecido. Para não ficarem no prejuízo, Dona Lina, mãe de 16 filhos, descosturou uma camisa que tinha na venda, entendeu como a peça era feita, contratou duas costureiras e fizeram três peças que foram vendidas rapidamente. Assim nasceu a Dudalina, em 1957.

Seu Duda e Dona Lina são os pais de Sônia Hess, que assumiu a presidência da camisaria fundada pelos dois e a transformou na maior exportadora de camisas do país.

 

Mary Kay

Uma das mulheres americanas mais influentes em 1985 pelo The World Almanac and Book of Facts. Quando Mary Kay se aposentou, depois de uma carreira de 25 anos de sucesso em vendas diretas, em meados de 1963, ela decidiu escrever um livro para ajudar as mulheres a enfrentarem um mundo de negócios completamente dominado pelos homens. Cansada de ver homens jovens que ela havia treinado sendo promovidos antes dela, um dia, sentada à mesa da sua cozinha, Mary Kay fez duas listas: uma contendo tudo de bom que as companhias para as quais ela havia trabalhado haviam feito; outra incluindo tudo o que ela avaliava que poderiam ter feito melhor. Quando revisou essas listas, Mary Kay percebeu que tinha criado um plano de marketing para uma companhia dos sonhos – uma companhia que poderia dar às mulheres um potencial ilimitado de sucesso pessoal e profissional.

Todos já sabem de qual negócio estamos falando, a marca de cosméticos Mary Kay nasceu com investimento inicial de U$ 5 mil dólares. Hoje, os produtos são vendidos em mais de 35 países.

Mary Kay Ash, adotou a Regra de Ouro como princípio básico, pois para ela, a determinação do melhor caminho a ser seguido em qualquer tipo de situação – pessoal ou profissional – se tornaria simples tendo por base a seguinte sentença: “Faça aos outros o que você gostaria que fizessem a você mesmo”.

 

Heloísa (Zica) Assis

Heloisa foi apontada pela Forbes como uma das 10 mulheres de negócios mais poderosas do Brasil.

Fundadora do Instituto Beleza Natural, rede especializada em cabelos crespos e ondulados, ela conta com mais de 10 salões, um Centro de Desenvolvimento Técnico, uma fábrica de produtos próprios capaz de produzir 300 toneladas por mês. Ao todo, emprega cerca de 1.700 funcionários e tem uma taxa de crescimento de 30% ao ano.

 

 

Chieki Aoki

A empresária é fundadora e presidente de uma das maiores redes hoteleiras do país, a Blue Tree Hotels.

Antes de liderar a própria empresa, Chieko Aoki trabalhou em outros negócios no Brasil, na Europa, na Ásia e nos Estados Unidos. A empreendedora está no segmento hoteleiro desde a década de 1980, quando tinha o emprego de diretora de marketing e vendas em uma rede de hotéis de luxo. Dentro da empresa, Aoki aprendeu muito e construiu sua carreira.

 

 

 Sarah Lazaretti

As alergias de pele e os problemas respiratórios da filha fizeram Sarah Lazaretti deixar de lado a carreira de enfermeira obstetra e empreender. Há 20 anos, ela fundou a Alergoshop, rede de franquias de lojas especializada em produtos para pessoas alérgicas.

 

 

E você? É uma mulher empreendedora? Compartilhe a sua história conosco e nos ajude a inspirar outras mulheres que ainda não tiveram coragem de investir no sonho do próprio negócio.

 

Aliás, você viu nosso PACK especial de Dia das Mulheres? De PDF informativo até animação exclusiva, separamos vários conteúdos especiais! Baixe agora gratuitamente.