O guia definitivo das ferramentas Analytics, Adwords e ROI

Conheça como funciona e para que serve cada ferramenta, mídia programática e o funil de vendas

Provavelmente se você já pesquisou por marketing digital, o Google automaticamente sugere outras pesquisas como: Analytics, Adwords e ROI, mas você sabe qual é a verdadeira função dessas ferramentas?

No texto de hoje vamos esclarecer para que serve cada uma dessas ferramentas:

Analytics: é uma ferramenta de mensuração do Google que mostra a quantidade de visitas que seu site recebeu no dia, semana e mês. De onde vieram essas visitas (email, site, redes sociais), qual região mais acessa seu site e quais páginas são mais acessadas.

“O Analytics, por si só, já é uma ferramenta de análise de resultados. Com ela, conseguimos mensurar diversos tipos de métricas e fatores que influenciam as estratégias de vendas da empresa. Por exemplo: com o Analytics, você consegue partir de uma visão macro do seu site, observando quantos visitantes por dia ele possui e se estes possuem uma origem orgânica ou vieram de anúncios pagos. Depois, você pode partir para uma análise mais micro, observando quais são os hábitos desses visitantes, quais os blogs ele visitou, quanto tempo em média ele passou em cada parte do seu website. Isso é somente a ponta do iceberg. Utilizando o Analytics você consegue mensurar de diferentes formas os resultados da sua empresa e aplicar diversas estratégias de melhoria de resultados”, esclarece Fabio Duran é sócio-diretor do Elefante Verde, uma startup de marketing digital focada no impulsionamento de pequenos negócios.
analytics

A melhor forma de produzir relatórios no analytics:

O Analytics, oferece métricas para geração de relatórios, ou seja, gráficos com dados de acesso que são úteis para o media kit de uma empresa, reuniões, monitoramento, fontes que geram visita ao site.

“Com cada tipo de relatório, você consegue obter importantes e diferentes insights. Não existe um relatório que traga melhores resultados que outros, pois eles variam muito de acordo com o objetivo da sua campanha. Se ela for uma ação que busca gerar oferta e demanda diariamente, então é claro que o relatório diário faz mais sentido, pois com ele você consegue verificar se a sua campanha está sendo efetiva. Isso também vale para os relatórios mensais e semanais. Tudo depende do seu objetivo”, conta Fabio Duran.

ROI: é o retorno sobre investimento (Returno on Investiment), é uma métrica para mensurar o resultado financeiro de um investimento.

É usado para campanhas de marketing, treinamentos de vendas, campanhas para prospecção de novos clientes. Enfim, essa ferramenta é voltada para tudo que visa lucros para a empresa.

Como calcular?

ROI= (Ganho obtido) – Investimento inicial/investimento inicial

 

Adwords: é o serviço de publicidade do google, são os famosos links patrocinados. Nele é possível criar e divulgar anúncios na rede de pesquisas do Google (buscador) e também na rede de displays do Google (site filiados). Para que um anúncio seja exibido nos resultados do Google, ele participa de um leilão de palavras-chave. As palavras-chave correspondem aos termos buscados pelos usuários, quanto mais relevante forem as palavras-chave mais chances seus anúncio tem de aparecer.

Exemplo: se seu anúncio for um apartamento amarelo, a sua palavra-chave deve ser “apartamento amarelo”.

Fábio Duran, esclarece que para uma campanha de sucesso é importante conhecer o seu público-alvo. “ Conhecer o seu público alvo e qual é o tipo de pessoa que consome seu produto, pois, basicamente, o Google Adwords trabalha com as palavras chave que o seu público normalmente pesquisa. Sendo assim, conhecer quais os termos que eles podem utilizar e quais são seus maiores problemas é o ponto de maior importância para uma campanha de Adwords dar certo”, diz.


Como o analytics, adwords e o ROI (retorno de investimento) funcionam juntos?

O Adwords, Analytics e o ROI, trabalham em conjunto. O que isso quer dizer? Cada ferramenta complementa a outra. Com o Analytics, você consegue gerar tags de conversão para serem aplicadas no Adwords e mensurar em tempo real diferentes métricas das duas ferramentas, onde todas essas análises culminam na melhoria do ROI, que nada mais é do que o retorno do investimento. Então, utilizando as métricas fornecidas, você consegue ver se todo o investimento feito está sendo convertido em clientes.

Mídia Programática

Mídia programática, é uma forma de programar, comprar e vender mídia através de uma ferramenta. Francisco Morales, diretor da Sociomantic na América Latina (empresa da dunnhumby – líder em ciência do consumidor que oferece soluções de publicidade programática em plataformas web, mobile e redes sociais, conta que primeiro é importante definir claramente o objetivo da campanha.

“A partir daí, escolhe-se o tipo de campanha (prospecção, retargeting ou fidelização), o público-alvo (target group) e o criativo de comunicação (dinâmico ou estático). Para que a mídia programática tenha a máxima eficiência, é necessário trabalhar um mix de mídia balanceado, por exemplo buscadores, comparadores de preço entre outros, que gere acessos qualificados ao site, além de trabalhar bem o first-party data (dados primários que o próprio anunciante possui sobre seus clientes). Fazendo isso, é possível maximizar a inteligência da mídia programática”, conta. Outros pontos fundamentais são:

1- Se preocupar com a exposição correta (quantas vezes um usuários vê o mesmo banner por dia e como ele é impactado após a compra, pois a pior coisa é ser perseguido por um produto que acabou de comprar).

 2 –  Impressões fraudulentas

3 – Questionar o parceiro em relação ao que pode ser feito com dispositivos móveis, que soluções podem ser usadas para estar sempre em contato com o consumidor.

   Funil de vendas

Depois de entender como funcionam as ferramentas, agora é preciso saber como funciona o funil de vendas. O funil de vendas é o acompanhamento do seu cliente ou futuro cliente, a partir do momento que ele procura os serviços oferecidos pela sua empresa até o fechamento do negócio. “O conceito de funil de vendas é amplamente difundido no meio digital, porém agora há uma compreensão maior sobre como avaliar isso de acordo com a jornada do usuário e com o mercado em que a empresa atua. Evidentemente, um usuário interessado em um vestido ou sapato tem uma compra por impulso, enquanto um usuário interessado em uma viagem pode levar em média 10 dias até o ato da compra. Deve-se então calcular qual é essa jornada e trabalhar todos os pontos de contato, levando em consideração quais são as mídias mais efetivas em cada etapa – prospecção, vendas e fidelização. Para uma estratégia bem sucedida, é fundamental pensar no usuário depois da primeira compra, pensar em como fidelizá-lo, que métodos existem que podem reengajá-lo com inteligência, usando seu CRM e mobile, por exemplo”, esclarece Francisco Morales, diretor da Sociomantic na América Latina.

 

Entrevistados

fabio-evFabio Duran é sócio-diretor do Elefante Verde, é formado em Direito pela Universidade Mackenzie e Pós Graduado pela University of California em Administração de Empresas e Gerenciamento de Projetos. Possui certificação em negociações avançadas e mediação pela University of California Berkeley. Sempre focou sua carreira no empreendedorismo, tendo, inicialmente, atuado como advogado e, mais recentemente, como empreendedor, sendo um dos sócios do Elefante Verde. Há mais de três anos dá palestras sobre marketing digital, empreendedorismo e crise econômica por todo o Brasil, principalmente em eventos promovidos pelo Sebrae.


francisco-moralesFrancisco Morales é diretor-geral da Sociomantic na América Latina, Francisco Morales é formado em Administração pela Universidade de Trier, na Alemanha. Pela mesma instituição, é mestre em Administração, Negócios Internacionais e Economia com foco em Mercados Emergentes. Residiu na Alemanha durante 20 anos e tem sólida experiência em finanças, tecnologia e marketing.

Em 2004, assim que se formou, montou uma startup de importação e distribuição, com foco na distribuição de marcas brasileiras, como Redley, Kenner e Cantão, trabalhando com clientes de atacado e varejo tradicional por toda Europa.

Em seguida, ingressou no mercado financeiro, quando trabalhou para o Grupo MLP – maior broker de serviços financeiros da Alemanha – na área de consultoria empresarial, tendo a oportunidade de gerenciar e acompanhar de perto o crescimento de startups como MyBrands e Zalando, sendo a última hoje o maior varejista online da Europa.