Parte II: como será a Comunicação Interna em 2017?

Na semana passada, publicamos o texto Como Será a Comunicação Interna em 2017?
Hoje, daremos continuidade ao assunto apontando o que esse setor espera para este ano na mensuração de resultados, ROI e investimentos para a CI. O resultado é através de uma pesquisa realizada pela Social Base e Ação Integrada, com as três categorias de empresas: pequena, média e grande.

  • Pequenas empresas (até 100 funcionários)
  • Médias empresas (de 100 a 1.000 funcionários)
  • Grande (acima de 1.000 funcionários)

O estudo revela que para 2017, no geral, as empresas têm percebido a tendência de mobilidade em seus canais. Mais de 60% dos entrevistados afirmaram que sua empresa permite ou permitiria que os colaboradores tenham acesso a conteúdos da organização em seus próprios smartphones. Mas para algumas empresas, o celular durante o expediente continua sendo mal visto, 49% das grandes empresas demonstraram resistência quanto permitir que os colaboradores acessem informações da companhia em seus próprios dispositivos.

Quando o assunto é o alcance da Comunicação Interna, as três categorias acreditam que a comunicação alcança parcialmente os colaboradores. Nas grandes organizações, apenas 8% acham que o alcance da comunicação é satisfatório. A falta de timing preocupa os respondentes, já que – pelo menos – para 20% deles as informações chegam atrasadas ou não chegam.

Para 53% dos entrevistados, a mensagem distribuída aos empregados devem aumentar a frequência durante este ano. As grandes empresas avaliam que a frequência de comunicação com os colaboradores é adequada (49%), enquanto as pequenas e médias acham que o fluxo deve aumentar (65% e 59%, respectivamente).

Mensuração

A mensuração é um assunto muito importante para todos os setores e muito discutido em eventos de Comunicação Interna.

Todas as empresas atribuem valor para a mensuração em CI, mas são as grandes empresas que mais se preocupam com esse valor (83%). Isso pode ser consequência da necessidade cada vez maior, num mercado mais austero, das áreas comprovarem os retornos sobre os investimentos feitos em comunicação. Até porque, nessas organizações os orçamentos direcionados para Comunicação Interna são bem maiores.

Ainda que atribuam considerável valor à mensuração em Comunicação Interna, muitas não sabem qual percentual conseguem mensurar, especialmente as pequenas (39%), médias e grandes são as que afirmam que mais conseguem mensurar, mas apenas entre 40 e 60% das ações.

Apesar de reconhecerem a importância de mensurar a Comunicação Interna, as empresas utilizam poucas ferramentas que fornecem dados numéricos para medir a eficiência do seu trabalho nesta área. Com muita frequência, elas se valem de pesquisas feitas por outras áreas para avaliar os processos de CI e, no geral, pesquisas qualitativas (22%) ultrapassam levemente as pesquisas quantitativas (19%).

 

ROI – Retorno sobre investimento

Com relação a analisar o ROI e mostrar resultados, apenas 9% das empresas respondentes disseram que conseguem apresentar os dados financeiros de retorno gerado com ações de Comunicação Interna.

infográfico roi

Os dados são preocupantes, pois, a administração das empresas mede o resultado dos esforços empregados em qualquer iniciativa na organização a partir de indicadores financeiros.

Nesse aspecto, os comportamentos das pequenas, médias e grandes empresas são parecidos. O principal investimento das áreas de Comunicação Interna em mensuração será o estabelecimento de indicadores (33%). Também há um interesse forte das organizações (27%) para medir as mudanças de comportamento em relação às mensagens de Comunicação Interna.

De acordo com os participantes, o processo de mensuração em Comunicação Interna pode ser estruturado a partir de um trabalho colaborativo, envolvendo as áreas interligadas, sobretudo nas grandes empresas, onde 83% dos respondentes dizem existir abertura ou muita abertura para tal.

Qual faixa de investimento as empresas estão dispostas a investir em tecnologia para 2017 na CI?
As médias empresas (42%) planejam investir até R$ 50 mil e as grandes (48%) entre R$ 50 mil e mais de R$ 100 mil no ano. A exceção está nas pequenas empresas, que planejam intensificar o uso desses canais, mas não têm planos (60%) para investir em tecnologias para CI.

Excluindo o custo com pessoal e infraestrutura de trabalho, qual é o orçamento alocado para as ações de comunicação interna em 2017?

77% das pequenas empresas investirão até R$ 50 mil em ações de Comunicação Interna em 2017. O cenário é parecido nas médias empresas, porém, com 1/3 delas investindo entre R$ 50 e R$ 300 mil no ano. Entre as grandes empresas, 68% das empresas com orçamento entre R$ 50 mil e R$ 1 milhão. Neste público, 11% das empresas possuem orçamento acima de R$ 1 milhão.

No geral, os participantes avaliam que suas empresas, sejam elas pequenas, médias ou grandes, investem pouco em Comunicação Interna. Essa percepção é maior entre as médias (74%). Nas grandes, existe uma certa satisfação com o que é investido em CI, mas ainda pequena (36%).

Engajar as lideranças é o principal desafio apontado pelos respondentes das pequenas empresas. Seguido pela mensuração sobre os investimentos, isso significa que em tempos austeros pode ser uma boa oportunidade para as áreas de Comunicação Interna das pequenas mostrarem seu valor para conquistar mais investimentos. Pois há um equilíbrio (9%) das empresas que desejam estruturar novos canais de comunicação e aquelas que querem cortar custos em 2017.

Saiba mais aqui