Retorno do varejo pós pandemia

A crise forçou os varejistas a fazerem grandes mudanças no seu modelo de negócio tradicional, e em pouquíssimo tempo, tudo se adaptou às novas normas. Esse foi o jeito que encontraram para driblar as restrições e não perder oportunidades mesmo em meio a pandemia.

Com certeza, parte do varejo como conhecemos já foi substituído e entrou numa “nova era” e por mais que haja a reabertura do comércio nas próximas semanas e/ou meses, os hábitos de consumo do momento permanecerão os mesmos, pois segundo estudo, os consumidores durante e pós pandemia, serão os mesmos, por isso estar a atento as tendências pode garantir o futuro do seu negócio.

 

Digitalização e conforto ditam as novas formas de consumo.

Antes da pandemia, o delivery já era comum entre muitos segmentos, principalmente o alimentício, mas, sem muitas escolhas, todos os outros tiveram que se adaptar. Além de ter se fortalecido nos últimos tempo, o delivery se mostra uma tendência que veio para ficar, inclusive para os pequenos negócios, que puderam utilizar grandes marketplaces para se promover.

Muitas empresas que careciam de presença digital, se viram forçadas a investir em tecnologia, pois não ter um canal eficiente de comunicação com os clientes e de vendas num momento como esse, é sinônimo de grandes perdas, pois ao privar a população de ir às ruas, só podemos encontrá-los em um lugar, a internet.

 

Mas e no pós-pandemia? 

Como falamos acima, as tendências de digitalização e conforto vieram para ficar, tanto no ambiente virtual, como no presencial, por isso o retorno das lojas físicas promete grandes mudanças, como por exemplo no atendimento.

Com o contato humano limitado, os pontos de autoatendimento e auto-checkout, onde o próprio cliente pode tirar dúvidas e realizar o pagamento, se popularizam. Isso pode não significar um adeus definitivo aos caixas e atendentes, mas com certeza são mudanças que precisam ser acompanhadas, afinal, quem vai querer encarar aglomerações e grandes filas?

E para garantir o bem-estar dos consumidores, além dos pontos citados acima, é importante repensar toda a estrutura da loja, como:

 

Espaçamento de corredores: Lembre-se do distanciamento recomendado, rever o layout da loja, proporcionando um ambiente mais arejado e amplo pode trazer a sensação de segurança para o cliente.

Higienização constante dos ambientes: Principalmente os lugares compartilhados, como um totem de autoatendimento, provadores e bancadas.

Locais e utensílios de higiene pessoal: Pias para lavar a mão, álcool gel, lenços umedecidos, tudo isso conforta o consumidor e serão comuns a partir de agora.

 

E claro, o que não poderá faltar é a valorização e cuidado social. Esteja sempre atento ao papel que a sua marca desenvolve em prol da melhoria dos cenários atuais e como ela tem contribuído para uma experiência de compra mais consciente e segura. Num post anterior falamos sobre como ouvir cada consumidor, pode ser um grande passo para implantações de melhorias futuras.

Repare que muito do que foi citado acima já existia no mundo corporativo e varejista, o que a pandemia fez foi apenas acelerar mudanças que já estavam gradativamente acontecendo.