A liderança durante a crise

Agora, a liderança vai muito além de designar tarefas, o papel do líder mudou, assim como as expectativas em relação à função que ele exerce em momentos de crise. Um período como esse pede atitudes mais humanas, e é através dela que o líder consegue garantir um bom desempenho de toda a equipe.

As habilidades exigidas dos líderes que estão enfrentando a pandemia são outras, e é essa cobrança que pode despertar o “Síndrome de Super-Herói”. A consultoria Talenses Executive realizou uma pesquisa que comprova como muitos possuem dificuldade em demonstrar fraquezas, veja os números abaixo:

100%

dos líderes estão sentindo ansiedade, medo e angústia.

 

78% 

dos executivos se sentem pressionados a tomar decisões ágeis e difíceis por causa da crise.

 

71%

nunca dividem, ou dividem raramente, seus sentimentos com os colegas de trabalho.

 

46%

Acreditam estar conseguindo equilibrar bem as emoções, apesar das circunstâncias.

 

30%

Escondem o que sentem por vergonha ou medo do que os outros vão pensar.

Esses dados estão disponíveis exclusivamente na revista Você S/A.

 

Mas, é importante perguntar, sua empresa sabe das dificuldades que os líderes estão enfrentando? Como agir em situações como essa? É claro que uma boa comunicação é o início de tudo, principalmente a digital, que é capaz de estabelecer uma conexão com os líderes que  não estão presentes na empresa e precisam de apoio para continuar transmitindo mensagens positivas e esperançosas aos colaboradores. Apesar dos aplicativos de videochamadas estarem mais populares, é importante contar com um canal oficial, como um aplicativo corporativo, por exemplo, ele pode ser a ponte para aproximar e entender, não só a liderança, mas todos os outros colaboradores.

 

Liderando com excelência em tempos de coronavírus.

 

É indispensável que o profissional saiba reconhecer o medo e encorajar as pessoas, e que preze por construir relações de ainda mais confiança e proximidade nesse período, mas claro, sempre lidando com muita inteligência emocional, para que algumas questões não sejam misturadas ou até mal interpretadas, pois um líder ainda precisa ser firme e eficiente. Transparência também é necessário, deixe claro os cenários presentes, omitir informações dos colaboradores pode ser uma armadilha posteriormente.

Tempos de crise podem potencializar habilidades e competências, pois são momentos que podem ser utilizados para aprendizado, mas claro, estando atento a realidade negativa de uma fase como essa.