Saúde mental | Trabalho e pandemia

As mudanças repentinas e a insegurança que a pandemia trouxe consigo, contribuiu para um cenário preocupante em relação a saúde mental da população. Pessoas que apresentavam um equilíbrio psicológico desenvolveram algum tipo de distúrbio após a pandemia e outros tiveram seus quadros agravados devido as circunstâncias atuais. Veja abaixo quais são as principais causas segundo o relatório da OMS (Organização Mundial da Saúde):

 

1 – Medo de se infectar, de morrer, de perder pessoas queridas e/ou ficar desempregado.

2 – Ansiedade por estar há um longo tempo afastado do convívio com amigos e familiares.

3- Alto estresse por causa da quantidade de informações erradas sobre o vírus e sobre as medidas de prevenção.

4 – Risco de haver alta no número de suicídios entre os jovens, assim como ocorreu durante a crise econômica americana de 2008.

5 – Crescimento de comportamentos viciantes, como abuso de álcool e de outras substâncias, compulsão alimentar e excesso de jogos online.

 

Como citado na pesquisa acima, o medo do desemprego é um dos fatores que tem causado um grande mal-estar psíquico. Segundo o IBGE, 1 milhão de brasileiros perderam o emprego, e é essa incerteza de não saber se continuarão em seus trabalhos, que desencadeia diversos problemas, como transtorno de ansiedade, depressão e/ou crises de pânico.

As empresas possuem uma tarefa muito importante nesse momento: zelar pela saúde psicológica dos colaboradores, por isso, é essencial manter uma comunicação transparente e eficiente com todos, independentemente da distância. Os canais digitais, como o aplicativo corporativo ou intranet são muito eficientes para as empresas que adotaram o home office, mas para as que continuaram presencial, os murais digitais tem sido uma ótima ferramenta.

 

O papel da comunicação:

A comunicação aproxima os funcionários, líderes e diretoria e mantém a relação que existia no trabalho presencial, essa ligação ajuda muito a lidar com o isolamento e a distância. Como o jornalismo já está fazendo o papel de informar a população, as empresas podem optar por conteúdos mais descontraídos e positivos, que visam a saúde física e mental dos colaboradores. Veja algumas ideias de ações para implantar:

 

  • Marcar conversas semanais entre os colaboradores, para compartilhar vivências durante esse período;
  • Criar conteúdos divertidos sobre lazer e entretenimento na pandemia;
  • Incentivar a prática de exercícios físicos. Convide colaboradores que tem se mantido ativos para falarem um pouco sobre os benefícios;
  • Falar sobre alimentação e como isso influência na produtividade e energia do dia a dia.
  • Desmitificar temas de saúde mental. Falar sobre o assunto é o primeiro passo para estimular os colaboradores a se abrirem.

 

A liderança também é vulnerável!

Os desafios dos líderes triplicaram durante a crise, muitos tiveram que lidar com demissões em massa, organização de times a distância, demandas ainda maiores, colaboradores estressados e doentes… Toda essa cobrança pode resultar num desgaste mental. É preciso estar atento e dar suporte para que os gestores mantenham-se saudáveis e motivados, afinal, eles que são responsáveis por manter o desempenho das equipes.

Compreensão e empatia são essenciais para perceber os comportamentos incomuns. Como ainda existe um tabu em torno das doenças psicológicas somado ao medo de perder o emprego, muitos podem se sentir desconfortáveis de falar ou buscar soluções médicas. Encorajá-los a entender seus sintomas e iniciar algum tipo de tratamento é o ideal para ambos.