A Comunicação Interna depois da pandemia

Qual o papel da Comunicação Interna depois da pandemia? Você sabe?

Assim como a maioria das coisas ao nosso redor, a Comunicação Interna é um setor que vem se aprimorando ao longo dos anos. Houve até um tempo onde ela não era tão valorizada quanto deveria, mas é fato que ela é essencial para o desenvolvimento dos colaboradores, e consequentemente das empresas.

Em uma entrevista com Andrea Sarti, Coordenadora de Comunicação Interna no UnitedHealth Group, ela comenta sobre a importância desse setor: “A comunicação com o colaborador é o elo fundamental do relacionamento empresa-funcionário. Ela é responsável por incentivar e promover um diálogo transparente, diminuir os conflitos, promover a disseminação e o alinhamento das mensagens e estratégias corporativas, contribuir para o orgulho de pertencer, além de ser uma apoiadora essencial do engajamento e da produtividade. Ela sempre teve um papel fundamentalmente estratégico para o sucesso de qualquer negócio”.

A pandemia chega, e o cenário corporativo muda

Em um momento de crise como esse que vivemos, o ambiente corporativo não ficaria por fora das instabilidades e revoluções. O método de homeoffice, majoritariamente adotado no início da quarentena, é uma ótima maneira de exemplificar que a nossa percepção sobre algumas questões, virou de ponta cabeça. E agora, com as questões pandêmicas mais resolvidas e a vacinação em massa em andamento, vem sendo discutido muito à respeito da real necessidade da participação presencial dos funcionários todos os dias da semana.

Uma pesquisa feita pela Aberje com 86 organizações participantes, entre associadas e não associadas à ela, localizadas nas diversas regiões do país, de todos os portes e que representam quase todos os segmentos da economia, as principais medidas tomadas pela área de Comunicação, devido a pandemia foram:

 

O estrelato: A Comunicação Interna se torna mais importante que nunca

Daniel Costa, especialista nessa área, diz que “a Comunicação Interna é um problema a ser resolvido constantemente, que pode e deve ser gerido com intensidade para não causar deficiência”.

Então por consequência desse cenário pandêmico, com a crise e o medo instalados, era certo que viriam à tona problemas que muitas das vezes estavam sendo jogados para baixo do tapete, mas que em outras, apesar de sanados, se apresentaram de uma nova maneira. Com a maioria dos colaboradores em casa, como reforçar a cultura organizacional? Como se comunicar de forma efetiva? Como avisar e informar? Manter-se conectado? Fazê-los se sentirem parte da empresa? E é exatamente nesse momento que a Comunicação Interna se torna o problema a ser resolvido e a solução mais eficaz.

Citado anteriormente, Daniel Costa também comenta sobre as mudanças temporais nesse setor: antigamente, a falta de tecnologia fazia com que a maneira de entregar a informação fosse a maior preocupação, sendo que hoje em dia o primordial é a busca em tornar o que há a ser dito entendível, e ouvir o que os colaboradores têm a dizer. Ao ser perguntada sobre o que mudou na Comunicação Interna depois da pandemia, Andrea Sarti faz uma consideração atualizada e correlacionada ao posicionamento de Daniel: “A comunicação com o colaborador deu um salto tecnológico bastante importante, pois com o isolamento, as empresas se viram obrigadas a investir numa área que não era prioritária para as organizações. Na maioria das empresas, CI deixou a posição de área suporte para assumir seu papel estratégico de fato”.

Por que ela se tornou tão essencial? E como posso praticá-la?

A solução mais efetiva para sanar as feridas deixadas pela pandemia olhando da porta para dentro das empresas, é a Comunicação Interna. Ela permite que mesmo distantes fisicamente, você esteja próximo do seu colaborador em meio a uma crise econômica, sanitária e psíquica. O alinhamento entre gestor e colaborador, entre as equipes, a segurança e o sentimento de pertencimento, as informações confiáveis, e reforço à cultura organizacional, todas essas questões e muitas outras também são asseguradas por esse setor.

Dentre as diversas formas que você pode começá-la ou reforçá-la, aqui vão alguns canais eficientes:

  • TV’s Corporativas – uma boa opção para grandes empresas e fábricas, principalmente as que não puderam adotar o homeoffice.
  • Aplicativos de Comunicação Interna – com o intuito de manter o contato frequente com o colaborador independentemente do local que estiver, os APP’s são uma excelente opção.

 

Seu maior objetivo

A Comunicação Interna busca o bem-estar dos colaboradores, e assim sustentar boas performances. A tecnologia aliada à empatia pode fazer com que a experiência no ambiente de trabalho seja verdadeiramente agradável. Ao enxergar essa área como investimento e qualificá-la dentro da sua empresa, a promoção de conexões humanas, que é seu maior objetivo, será alcançado.

À respeito de um pós pandemia, Andrea Sarti pontua:

“Acredito que a Comunicação com o colaborador terá um papel ainda mais relevante para manter a cultura organizacional, o engajamento dos times, o alinhamento das estratégias de negócio e o orgulho de pertencer. Trabalho remoto, híbrido e totalmente alocado no escritório são o novo normal e manter esses times em igualdade de oportunidades e de informação terá um peso ainda maior no sucesso dos negócios”.